segunda-feira, 22 de junho de 2009

Mar Sonoro

Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho.
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim.
Sophia de Mello

2 Comentários:

Blogger Caracoleta disse...

Líndíssimo... Que bom encontrar também aqui o meu poema favorito da Sophia... e um dos meus favoritos de sempre. Escolhi-o para ilustrar a capa do meu caderno de notas de reunião, que me acompanha todos os dias! Um mar de calma e inspiração para me embalar no intenso trabalho diário :) Um beijo!

22 de junho de 2009 às 07:13  
Blogger Sentidamente disse...

" As ondas quebravam uma a uma
Eu estava só com a areia e com a espuma
Do mar que cantava só para mim"

Sophia de Mello Breyner

Mar,tema tão presente na poesia de Sofhia.
Eu digo: Quem é imune ao fascínio do mar?
Um beijinho

25 de junho de 2009 às 14:23  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

BlogArchive Blog Feed Cabeçalho HTML SingleImage LinkList Lista Logotipo BlogProfile Navbar VideoBar NewsBar