sábado, 2 de janeiro de 2010

Votos

No novo ano, o Inferno não existirá!
Se o houver, é apenas e só esse que já está connosco.
É o Inferno que habitamos todos os dias, que nós urdimos ao estarmos juntos no nosso egoísmo, no nosso orgulho, na nossa imensa vaidade, na nossa profunda mentira.
Há, porém, duas formas de o não sofrermos.
A primeira é fácil: aceitar este Inferno e fazer parte dele a ponto de já não o vermos.
A segunda é arriscada e exige uma atenção e uma aprendizagem contínuas: tentar e saber reconhecer, no meio do Inferno, quem e o que não é Inferno, e fazê-lo, então convictamente, viver e dar-lhe lugar.
in As Cidades Invisíveis, Italo Calvino (texto com adaptações)

Etiquetas:

2 Comentários:

Blogger Jelicopedres disse...

A tarefa não é nada fácil, mas, vou ficar atenta...
Italo Calvino, sabia do que estava a falar!

Feliz 2010 para si*_*)

4 de janeiro de 2010 às 16:27  
Blogger Sentidamente disse...

Certíssimo! Na verdade, num certo sentido, nem haverá novo ano! Haverá a continua corrente do tempo, tal como vem acontecendo desde sempre!
Beijinho

6 de janeiro de 2010 às 13:57  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

BlogArchive Blog Feed Cabeçalho HTML SingleImage LinkList Lista Logotipo BlogProfile Navbar VideoBar NewsBar