sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Abismo

Na surdez do seu desatino
Está de pé sobre o abismo, suspensa.
Queda-se sobre um azul tão grande,
tão profundo, quase a afundar-se.
Olha-se com olhos de estranhos e vê-se a si mesma
Olha- se com os seus olhos e vê-se estranha.
Divide-se e multiplica-se nesse caleidoscópio
Feito ela e de si em si reinventa o desabrigo.
No fundo mais fundo
Mergulha.

Etiquetas:

3 Comentários:

Blogger Banalidades disse...

Pensei em ti, minha querida!
Reergue-te e fica segura na vida! Jinhos

6 de novembro de 2009 às 13:31  
Anonymous Anónimo disse...

Obrigada, linda!
Nunca imaginei ser digna das tuas palavras...
É uma honra...
...e em honra delas prometo tentar reerguer-me com maior firmeza.

BEIJO GRANDE!

6 de novembro de 2009 às 14:21  
Blogger O céu da Céu disse...

É bom ter amigas que pensam e dão a mão, perto ou longe do "Abismo".Como sempre, gosto muito do que leio em "Banalidades".Um xi-coração

11 de novembro de 2009 às 15:33  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

BlogArchive Blog Feed Cabeçalho HTML SingleImage LinkList Lista Logotipo BlogProfile Navbar VideoBar NewsBar