quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

O Amor

Dantes escrevia poemas de amor. Para viver com o amor nos poemas, sempre. Depois, disseram-me que já toda a gente o fez, que nada mais havia a escrever sobre o amor. Que o amor já estava em demasiados poemas. Eu aceitei o conselho e passsei a escrever poemas de morte. Escrevi muitos poemas sobre o meu pai, até ao dia em que percebi que a morte é sinónimo de amor, como tudo é sinónimo do amor. E voltei a escrever o que nada mais havia a dizer. Porque até o poema é sinónimo do amor.
Jorge Reis-Sá

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

BlogArchive Blog Feed Cabeçalho HTML SingleImage LinkList Lista Logotipo BlogProfile Navbar VideoBar NewsBar