quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Venenos

"Quando te sentires envenenado não lances esse veneno em quem poderá te servir de socorro."
Walter Grando

Etiquetas:

4 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Correr, passar um dia a fugir do pensamento, olhar para trás e não ver nada, olhar em frente e sentir que cheguei... Aonde, não sei, apenas a afectos, banais, tão banais como este Banalidades.
Será o afecto uma coisa banal? Estará o veneno a corroer os afectos?
Beijo amigo
Filipe Fino

9 de outubro de 2008 às 15:23  
Anonymous Anónimo disse...

Por vezes o veneno cega, nem que só por momentos...
...e é só quando já ninguém nos pode socorrer que nos apercebemos que poderemos ter sido nós os responsáveis pela nossa própria desgraça...
Porque será que, mesmo sabendo destas coisas, tantas vezes as esquecemos?...

Kat

10 de outubro de 2008 às 10:19  
Anonymous Anónimo disse...

veneno? estender a mão? faz lembrar a fábula da rã e do escorpião. será?
jinhos, a humanidade não é perfeita mas vale a pena acreditar

10 de outubro de 2008 às 11:46  
Anonymous Anónimo disse...

Será desgraça procurar soluções para a Sociedade? Será desgraça estar só e ainda assim ser alma inquieta? Ousará a Escola construir uma nova ordem social? Ousará a Escola "Ir mais além"?
Filipe Fino

17 de outubro de 2008 às 18:23  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

BlogArchive Blog Feed Cabeçalho HTML SingleImage LinkList Lista Logotipo BlogProfile Navbar VideoBar NewsBar