domingo, 14 de fevereiro de 2010

Amor

“Amor é...
Ver-te chegar num eco de ave,
e deixar que me prendas
com o teu gesto mais suave,
sentir-te, só, ao pé de mim,
e sentir-me tão só longe de ti...”
Nuno Júdice, Geometria Variável

Etiquetas:

4 Comentários:

Blogger O céu da Céu disse...

É pêssego
Tangerina
e é limão
Tem sabor a damasco
e a alperce
Toma o gosto da canela
de manhã
e à noite a framboesa que se despe
Da maçã guarda o pecado
e a sedução......
............
Maria Teresa Horta

16 de fevereiro de 2010 às 11:14  
Blogger Banalidades disse...

Olá, Céu!
Adorei este poema! Gosto desta sensualidade!
Oxalá o amor persista na sua vida e seja uma base de felicidade! Jinho

16 de fevereiro de 2010 às 11:56  
Blogger Sentidamente disse...

E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos...
E por amor
Serei... Serás...Seremos...

Pablo Neruda
Um beijinho

16 de fevereiro de 2010 às 15:31  
Blogger Banalidades disse...

Adorei o poema de Pablo Neruda! Obrigada Juja! Este miminho sabe tão bem...

17 de fevereiro de 2010 às 13:03  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

BlogArchive Blog Feed Cabeçalho HTML SingleImage LinkList Lista Logotipo BlogProfile Navbar VideoBar NewsBar