quinta-feira, 20 de maio de 2010

Mentira

Sou mesmo assim...
Invento a dor que pressinto e nada sinto.
Acrescento-a noutro momento.
Desminto e minto ser dor o meu tormento.
Mais dói se em tormento minto.
Ora, dor que consinto é-me alento...
Após um momento, dor acrescento à que sinto
E àquela que pressinto se invento!

Etiquetas:

4 Comentários:

Blogger She disse...

Gostei muito!
Beijinhos =)

21 de maio de 2010 às 02:38  
Blogger Eduardo Miguel Pereira disse...

Delicioso, simplesmente delicioso.

22 de maio de 2010 às 05:29  
Blogger O céu da Céu disse...

O poeta é um fingidor...
A mentira gostosa, dolorosa, sentida...precisa!
Beijinhos

24 de maio de 2010 às 17:03  
Blogger Jelicopedres disse...

Que bom visitar este espaço, sempre que quero, sei que venho encontrar, algo de belo!

Abracinho da Teresinha*_*)

27 de maio de 2010 às 06:53  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

BlogArchive Blog Feed Cabeçalho HTML SingleImage LinkList Lista Logotipo BlogProfile Navbar VideoBar NewsBar