domingo, 1 de junho de 2008

Navegações


Levantar voo no infinito
Desejo azul tão grande...
Momento sublime de poder maior.
Aqui, o homem se eleva
Criatura e criador alados.


Espero por uma espécie de glória
Que nunca chega cedo.
É então que vejo subitamente
A nave da esperança
Navegação antiquíssima e possível.

Etiquetas:

1 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Numa noite sem sono, com uma viagem pela manhã, os piores e os melhores pensamentos chegam. Voar, sonhar, voltar a ser livre, ter vontade de regressar a Santiago... em suma, de novo ser feliz, quem sabe recuperar o brilho no olhar... sonhar com a avenida das laranjeiras...
Filipe Fino

3 de junho de 2008 às 19:38  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

BlogArchive Blog Feed Cabeçalho HTML SingleImage LinkList Lista Logotipo BlogProfile Navbar VideoBar NewsBar