sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Passagem

É este o último anoitecer do ano
E aí está ela sem saber se conta estrelas
Ou se recolhe antes os cacos de vidros partidos.
Um ou outro provavelmente, mais uma vez, feri-la-á.
Por isso, deixa-os onde estão.
Talvez mais tarde, saia em busca de rosas brancas
Talvez, com sorte, encontre algures um nítido girassol
Talvez espreite as luzes da cidade deslumbrantes
Talvez faça de um rio o seu vestido de bailar
Ao luar, na chuvada deste reveillon...
Talvez apenas se sente na penumbra da varanda
Sorvendo pequenos goles de champanhe e solidão
À luz dos fogos de artifícios longínquos
Antes que ouça arrebatada a "Pasión" do Rodrigo
Talvez, enfim, ela adormeça para acordar pouco depois
E, assim preparada, receba o Novo Ano!

Etiquetas:

2 Comentários:

Blogger Carolina disse...

Fantástico Poema!
Talvez...talvez...talvez...
Mas, numa coisa não haverá dúvidas: continuarás a encantar-nos com os teus Poemas!
bjh

2 de janeiro de 2011 às 08:53  
Blogger Sentidamente disse...

Num talvez que condensa tantas dúvidas, a certeza de que a noite passará, trazendo um novo ano em que continuará a encantar-nos com uma escrita tão bela e envolvente.
Para além dessa certeza, aqui lhe deixo expresso o desejo de que 2011lhe traga tanto de bom, quanto desejar.
Um beijinho

4 de janeiro de 2011 às 17:01  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

BlogArchive Blog Feed Cabeçalho HTML SingleImage LinkList Lista Logotipo BlogProfile Navbar VideoBar NewsBar